Revista Sucesso

Atualizado em 27/06/2016 10:45

Gastronomia

Cuscuz Rodolfo Valentino

Aquele amarelinho, de farinha de milho, com gosto de mar ou de roça e desenformado da forma de bolo com furo no meio

Da redação


Cuscuz Rodolfo Valentino

Não se trata de cuscuz marroquino e nem doce. Trata-se daquele amarelinho, de farinha de milho, com gosto de mar ou de roça e desenformado da forma de bolo com furo no meio. Quem me ensinou a fazer foi Consuelo, na época dona do bar Valentino.

Tínhamos mudado recentemente de São Paulo para Londrina, e um dia Renato, meu marido, me convidou para ir a um bar que tocava Rolling Stones, Blues e todas essas músicas de que gostamos. Tornamo-nos assíduos frequentadores.

E quando, lá pelas tantas, batia uma fome brava, era uma delícia comer uma fatia daquele cuscuz saborosíssimo, cheio de nacos de peito de frango. Um dia pedi a receita. O segredo, disse Consuelo − mas quem fazia era uma baiana − é que, na hora de virá-lo no prato, tem que escorrer óleo pelos lados.

Fiz um dia, ficou ótimo e repeti muitas vezes nas versões sardinha de lata, com camarões e com o peito de frango original. Sempre que faço sinto certa melancolia e saudades desse bar que, um dia, foi um autêntico pub, frequentado pela nata da inteligência local e pelos boêmios de plantão. Mas, tudo bem, fiquemos com as boas lembranças, e anote:

Cuscuz Rodolfo Valentino

Como já disse, você pode fazer com camarão, com sardinha de lata e com frango. Para ser fiel à receita original, vai a de frango, para 8 porções.

Ingredientes

  • 1 peito de frango inteiro, com osso
  • 1 maço de cheiro-verde finamente picado
  • 4 tomates maduros sem pele, picados em pequenos cubos
  • 1 colher de chá de páprica doce
  • 6 dentes de alho picadinhos
  • 2 cebolas picadinhas em cubos
  • 1 xícara de chá de azeitonas pretas, descaroçadas e picadas
  • 1/2 xícara de chá de queijo parmesão ralado
  • 3 copos de água
  • 1 vidro de palmito em cubos grandes
  • Óleo ou azeite de oliva
  • Azeite de dendê para untar a forma
  • 1 xícara de chá de farinha de mandioca, tipo biju
  • Farinha de milho, o quanto baste
  • Sal e pimenta a gosto
  • Para enfeitar, se quiser, tirinhas de pimentão vermelho assado e sem pele ou 3 ovos cozidos bem duros.

Modo de fazer

  • Numa panela grande, com um pouco de óleo quente, comece refogando a cebola, o alho, os tomates o cheiro-verde, as azeitonas os temperos e o sal. Quando secar um pouco, acrescente a água e o peito de frango. Espere cozinhar bem o frango, retire-o e desfie-o.
  • Acrescente o frango desfiado ao caldo, e com um colherão mexendo sem parar, em fogo baixo, comece a acrescentar aos poucos a farinha de mandioca. Em seguida a de milho, devagar. Uma poeira por cima que logo é absorvida pelo angu vai se formando, e continue mexendo com a colher sem parar.
  • Quando, ao passar a colher pelo fundo da panela, você enxergar, de relance o metal, esse é o ponto. Pare de jogar farinha e acrescente um fio de azeite, sempre mexendo, por mais alguns minutos. Despeje o angu grosso na travessa de furo previamente e generosamente untada com azeite de dendê e enfeitada com as rodelas de ovo duro e tirinhas de pimentão. Para descomplicar a decoração, raminhos de salsinha fresca dão um toque de frescor e ficam muito bem. Espere esfriar para desenformar. 

 

gastronomia, cuzcuz,

Colunista

Maria de los Angeles

Autodidata, especialista em culinária espanhola e cronista gastronômica
maria@delosangeles.com.br

Veja mais artigos
Mais lidas
  1. Uma sobremesa muito refrescante
  2. SARDINHAS
  3. Alióli
  4. Cuscuz Rodolfo Valentino
  5. Gaspacho Andaluz
  6. Cacau do bom
Leia também
  1. Molho vermelho especial
  2. SARDINHAS
  3. Cacau do bom
  4. Um pão especial
  5. Uma sobremesa muito refrescante
  6. Ambrosia