Revista Sucesso

Atualizado em 15/06/2016 09:37

Gastronomia

Natal com café

As festas, todas com um cardápio nababesco, avançam pela madrugada, poucas horas de sono e um taquinho de ressaca, devida ao vinho, à cerveja e ao espumante que está por vir.

Da redação

Dezembro é como um portal que conduz a um ano novinho em folha e fresquinho, serão 365 dias para tomar cafés e descobrir seus sabores, aromas e frescor. As festas, todas com um cardápio nababesco, avançam pela madrugada, poucas horas de sono e um taquinho de ressaca, devida ao vinho, à cerveja e ao espumante que está por vir.

Quero perguntar a você, leitor: a sua ceia foi pensada com algo diferente? A finalização da comilança também já foi planejada? Qual o ingrediente que melhor acompanha o doce que irá provocar aquele “humm”? O que acrescentar à sobremesa para deixá-la diferente?

Para todas essas perguntas, eu tenho uma resposta: café! E aí, este grão coringa passou pela sua cabeça? Já pensaram em quanta coisa boa deixamos de fazer por insegurança e quantos sabores deixamos de descobrir? Se eu disser que, enquanto escrevo esta coluna, estou tomando um café gelado e que este café gelado não foi feito quente, que ele pode ser engarrafado e durar dias na sua geladeira, e que, além de tudo, ele foi feito com gelo; um gelo que vai derretendo devagarinho e molhando o pó de café até finalizar a extração; o que você iria me dizer?

Vamos aos números: a Alemanha é o maior exportador de café do mundo, os Estados Unidos da América, o maior consumidor; e o Brasil, o maior produtor. Seguindo esses dados, tenho a impressão de que seria legal estarmos antenados com o que rola de novo e atual no universo do café, certo? Mas não, o Cold Brew e os cafés gourmets e especiais ainda são tabu para a nossa cultura.

O Cold Brew é um café preparado sem a utilização de água quente, ou seja, a frio. Este a frio diz da utilização de cubos de gelo que vão derretendo e entrando em contato com o pó de café, num processo que pode demorar até 18 horas. A bebida deve ser consumida bem gelada, com leite, pedras de gelo ou pura. Os amantes do movimento slowfood vão amar!

Convido a todos, neste Natal e Ano Novo, a coroar nossa comilança com um café diferente. Já mencionei as propriedades medicinais do café (gourmet ou especial 100% arábica) nesta coluna, mas muito além de levar saúde à mesa, estamos falando de dar um pouco mais de cor à vida, ao paladar, à comida.

Quem quiser dicas de receitas de café, de comidas com café, sejam doces ou salgadas, podem me escrever que irei orientar e oferecer opções para a sua festa e dicas de preparo. Escrevam ou liguem! O desafio é: inove desde já, não espere o ano começar. Mais sabor, mais saúde, mais vida e mais disposição com a bebida da razão. #2016comcafé


café

Colunista

Andréia Cristina Luchetti

Barista e proprietária do Ânima Café Artesanal
Facebook: @animacafeartesanal
Instagran: @animacaffe

Veja mais artigos
Mais lidas
  1. Ah, se o café pudesse falar!
  2. 24 de maio, dia nacional do café
  3. Muitos bons cafés, em 2017!
  4. Café, Comer, Amar
  5. Pedais, café e seus quinídeos
  6. Café, um luxo acessível
Leia também
  1. Seu Café, à Prova de Balas
  2. Educação com Café, meu amigo e aliado
  3. Raízes cafeeiras
  4. Quem gosta de café?
  5. O café está com tudo e não está prosa!
  6. Café, Comer, Amar