Revista Sucesso

Atualizado em 15/06/2016 10:45

Gastronomia

Raízes cafeeiras

No campo, o agricultor faz a colheita seletiva para preparar um café especial.

Da redação

Trazido da Guiana Francesa pelo Sargento-Mor Francisco de Melo Palheta, o café chega a Belém (PA) em 1727. Em 1779, o Brasil inicia suas exportações. De lá para cá, o volume de café apenas aumentou e nos tornamos o maior produtor mundial de café e o segundo maior consumidor.

A ABIC (Associação Brasileira da Indústria de Café) – entidade criada num período crítico para a cafeicultura nacional e de fundamental importância para o desenvolvimento do setor cafeeiro – cria, no ano de 2005, o Dia Nacional do Café. Comemorada em 24 de maio, a data abre a colheita em quase todo o território nacional e, nesses nove anos, vem proporcionando a cada cantinho desta terra verde amarela um sentido para que o fruto café seja festejado e reverenciado.

No campo, o agricultor faz a colheita seletiva para preparar um café especial. As cafeterias seguem este curso oferendo aos clientes os melhores cafés produzidos nesta terra onde, plantando-se, tudo dá. E seguem preparando drinks e sobremesas servidas com primor.

No teatro, torna-se enredo para contar as histórias da chegada de todos os imigrantes que vieram para as fazendas cafeeiras, dos trilhos e das cidades que foram formadas pelo café.

O café vai além da bebida escura e aromática que preparamos em nossas manhãs, esta trivialidade está repleta de vivências. Aquela visita inesperada que chega a nossa casa e que recebemos com um expansivo sorriso logo acompanhado por uma fumegante xícara de café. Junto dela, o assunto gira e flui.

Nossa Londrina já foi denominada como a Capital Mundial do Café e, ainda hoje, o fruto figura como o produto mais exportado por nossa Pequena Londres, seja in natura ou processado (café solúvel).

Em 2010, o SEBRAE criou o projeto denominado Rota do Café, que coroa todo o desenvolvimento trazido a esta região através do chamado “Ouro Verde”. O projeto contempla o desenvolvimento de um roteiro turístico que resgata nossas raízes. Mergulhar no mundo do café é submergir em histórias, cores, sabores e texturas. Incorporar um dia para o café ao nosso calendário é um meio de celebrar a importância deste fruto generoso, mantendo viva sua importância histórica, social e econômica.

Em maio de 2014, entre os dias 22 e 25, o Museu Histórico Pe. Carlos Weiss recebeu novamente a Semana do Café. Nesta festa maravilhosa oferecida a todos os londrinenses, o bolo de aniversário feito com café foi motivo de alegria para alguns participantes. O sabor e o aroma predominantes do café alegraram e deixaram a todos com gostinho de quero mais. Melhor do que um bom pedaço de bolo para celebrar uma data especial, é acompanhá-lo com uma boa xícara de café.

café

Colunista

Andréia Cristina Luchetti

Barista e proprietária do Ânima Café Artesanal
Facebook: @animacafeartesanal
Instagran: @animacaffe

Veja mais artigos
Mais lidas
  1. Ah, se o café pudesse falar!
  2. 24 de maio, dia nacional do café
  3. Muitos bons cafés, em 2017!
  4. Café, Comer, Amar
  5. Pedais, café e seus quinídeos
  6. Café, um luxo acessível
Leia também
  1. Mulheres e café
  2. Café, Comer, Amar
  3. Raízes cafeeiras
  4. Muitos bons cafés, em 2017!
  5. Ah, se o café pudesse falar!
  6. A comida com café, já que café é comida