Revista Sucesso

Atualizado em 28/06/2016 16:42

Gastronomia

Um peixe muito requintado

Receita para tonar seu prato mais saboroso

Da redação

O bacalhau, quando é peixe fresco, chama-se mero. Depois de salgar e secar é que vira o bacalhau propriamente dito. Seu nome científico é gadhus morhua e depois de curado com o sal é que realmente seu sabor é apreciado.

Particularmente, aprecio mais o sabor dele que se impregna em outros elementos da receita. Por exemplo, as batatas. Mas quase todos os países da península Ibérica sabem prepará-lo à perfeição. Fiquei sabendo que os portugueses apreciam mais que o lombo, sua cabeça. É na cabeça que estão as “cocochas”, como se diz na Espanha, o mais fino dos manjares.

O potaje mais original da culinária Mediterrânea é feito com bacalhau, grão-de-bico e espinafre. Mas no norte, os bascos sabem diferentes fórmulas. Sempre com muito tomate e páprica (pimentón) picante. Na minha cozinha materna, se faziam croquetes, guisados vários e até paelha de bacalhau. Há um ditado espanhol, não sei mais se bem machista ou bem feminista, que diz: nesta casa quem corta o bacalhau é a mulher. Referindo que quem manda é “ela”.
Minha receita é da mais simples. Apenas tendo em vista realçar o sabor do peixe usando os demais ingredientes à guisa de temperos. Independentemente das festas do ano, este prato tão completo e fácil de preparar, gosto que esteja a miúdo em minha mesa.

Bacalhoada à minha moda (Para 6 pessoas com fartura)

  • 7 batatas grandes, boas para assar, em rodelas grossas;
  • 6 postas do lombo de bacalhau, com a pele e sem dessalgar;
  • 4 cebolas grandes cortadas em rodelas;
  • 3 pimentões vermelhos limpos, cortados em quadrados grandes;
  • 1 xíc. de chá de azeitonas pretas portuguesas;
  • 3 folhas de louro;
  • 1 colher de sopa de páprica doce; se precisar, uma pitada de sal sobre as batatas;
  • 4 tomates grandes em rodelas ou tomates cereja aqui e ali;
  • azeite de oliva “à volonté”.

Comece dessalgando, na antevéspera de usar. A água deve ser trocada umas 5 vezes pelo menos.

Em travessa refratária, regue o fundo com azeite. Cubra com as batatas em rodelas. Por cima, os pedaços de bacalhau com a pele para cima, seguido dos pedaços de pimentão, cebola e tomate.

Se couber, mais uma camada de batatas. As folhas de louro entremeando a extensão da forma.

Polvilhe a páprica e por último as azeitonas, regando bem com mais azeite.

Cubra com papel alumínio e leve ao forno bem quente até a batata ficar macia.

Leva mais ou menos uma hora e meia. Tire o papel alumínio e deixe assar por mais 15 minutos.

Para acompanhar, arroz branco e uma boa salada. Com bom vinho leve e jovem, tempranilho, os deuses do Olimpo vão ressuscitar. Em você!

 

peixe, bacalhau, mero, bacalhoada

Colunista

Maria de los Angeles

Autodidata, especialista em culinária espanhola e cronista gastronômica
maria@delosangeles.com.br

Veja mais artigos
Mais lidas
  1. Uma sobremesa muito refrescante
  2. SARDINHAS
  3. Alióli
  4. Cuscuz Rodolfo Valentino
  5. Gaspacho Andaluz
  6. Cacau do bom
Leia também
  1. Bolo Especial de Natal
  2. Molho vermelho especial
  3. Cacau do bom
  4. Um bolo muito inglês
  5. Moqueca moleca
  6. Bolo Camponês