Revista Sucesso

Atualizado em 15/06/2016 10:04

Educação

Viajar é para todos

Dependendo das dificuldades que a pessoa com deficiência tem, algumas preparações especiais são necessárias antes de qualquer saidinha.

Da redação



Viajar pode parecer algo fácil, mas quando você tem uma deficiência, o que é fácil pode ficar complicado. Dependendo das dificuldades que a pessoa com deficiência tem, algumas preparações especiais são necessárias antes de qualquer saidinha. Afinal, estamos saindo da nossa zona de conforto e, em qualquer momento, isso pode gerar complicações. Porém, é pior ainda quando você tem que pensar nas dificuldades que a deficiência traz. Será que o hotel que você escolheu é adequado? Será que todas as instalações são adaptadas? Essas são perguntas que a maioria das pessoas não faz quando sai de férias, mas que devem ser feitas caso um dos viajantes tenha algum tipo de deficiência.

Atualmente, graças às várias leis e regulamentações, a maioria dos hotéis e atrações turísticas já está adaptada, ou ao menos já contemplam opções para que a pessoa com deficiência possa desfrutar das atividades como qualquer outro viajante. Infelizmente, haja vista o caso da mulher que teve que subir as escadas do avião engatinhando, apesar de existirem regulamentações, muitas vezes as empresas não as seguem.

Nas viagens que faço, apesar de a minha deficiência não me atrapalhar muito, já que consigo subir escadas e realizar a maioria das atividades que qualquer outra pessoa que não tenha deficiência realiza, acabo por observar sempre se os locais pelos quais estou passando são adaptados, principalmente para cadeirantes. É normal, por exemplo, eu observar, no transporte público, se uma pessoa que usa cadeira de rodas conseguiria ou não utilizá-lo, ou se precisaria de ajuda de outras pessoas para fazê-lo.

Os aeroportos costumam estar adaptados, claro, com algumas exceções. Porém, na maioria das vezes, observo pessoas com cadeira de rodas entrando e saindo de aviões sem maiores problemas. Utilizo o exemplo da cadeira de rodas pelo simples fato de que essa é uma das deficiências mais visíveis, aquelas que as pessoas conseguem identificar melhor. Não só isso, como também se um local está devidamente adaptado para cadeira de rodas. Isso, na maioria das vezes, significa que pessoas com outras deficiências também conseguirão utilizar-se das mesmas instalações.

Assim, acredito que, apesar de alguns contratempos, valha a pena viajar, mesmo com as dificuldades que as deficiências possam trazer. Devemos lutar por melhorias nas instalações de hotéis, parques, atrações turísticas e transporte público. Mas, apesar de todos os problemas, viajar é possível e pode mesmo ser bastante prazeroso.

 

literatura, viagem, Viajar, deficiência, adaptada

Colunista

Mariana Maiz Pirolo

Bacharel em direito, apaixonada por literatura e blogueira. Blog Pequenos Retalhos

Veja mais artigos
Mais lidas
  1. Ler é importante
  2. Ler por prazer
  3. O leitor e o livro
  4. Evolução
  5. Viajar é para todos
  6. Quando os meios contribuem para a comunicação
Leia também
  1. Leitura e novas tecnologias
  2. A educação, as diferenças e o lugar comum
  3. Lendo entendemos que nossa visão de mundo não...
  4. Qual o futuro das livrarias no Brasil?
  5. Evolução
  6. As leituras amadurecem conosco