Revista Sucesso

Atualizado em 26/09/2019

Saúde

Depressão e ansiedade: atividades físicas são aliadas essenciais no combate

A prática promove a integração e o contato social, fazendo com que a pessoa faça parte de um grupo de amigos em busca de um mesmo objetivo

Da redação

O Brasil está hoje entre os países com maiores índices de depressão e ansiedade. De acordo com a OMS, 5,8% dos brasileiros são depressivos e 9,3% possuem problemas de ansiedade. Existem várias alternativas que podem ser aliadas ao tratamento convencional de ansiedade e depressão para promover melhoria da qualidade de vida. A prática de atividade física, por exemplo, já é muito bem estabelecida e incentivada para tratamento do estresse, distúrbios psicológicos como a Síndrome do Pânico e quadros depressivos.

“Isso porque a prática promove a integração e o contato social, fazendo com que a pessoa faça parte de um grupo de amigos em busca de um mesmo objetivo, tal como perder peso, correr uma prova ou ficar mais forte”, explica o Dr. Leandro Gregorut. Ortopedista, especialista em joelho, ombro e cotovelo e especialista em Medicina do Esporte, Dr. Leandro integra a equipe do Hospital Sírio-Libanês e já foi médico da Seleção Brasileira de Handebol.

 Além disso, segundo o especialista, ela atua na liberação de hormônios que contribuem para a sensação de prazer, melhoria do humor e da autoestima. “Durante essas atividades o corpo libera uma série de hormônios, pois entende que está em uma situação de estresse. E a liberação hormonal ajudará o corpo a sair desta situação e a se adaptar para que novas situações não ocorram”. No longo prazo, esses hormônios ajudam a fortalecer sua massa muscular, tirar sua dor, acelerar seu metabolismo e desenvolver sua resistência aeróbica, aumentando também sua sensação de felicidade, por atuarem diretamente no cérebro como uma forma de recompensa pelo esforço realizado. Outros benefícios percebidos são melhor controle da fome, diminuição da incidência de doenças cardiovasculares como AVC e Infarto e, também, controle da diabetes tipo 2.

“Para melhorar as funções cardiorrespiratórias, aumentar a massa muscular, melhorar a saúde dos ossos, reduzir o risco de doenças crônicas e depressão deve-se realizar no mínimo 150 minutos de atividade física aeróbica, de intensidade moderada, por semana. Ou, pelo menos, 75 minutos de atividade física aeróbica de intensidade vigorosa por semana. Para benefícios adicionais de saúde, os adultos devem aumentar a sua atividade aeróbica de intensidade moderada para 300 minutos por semana, ou 150 minutos de atividade de intensidade vigorosa por semana, ou uma combinação equivalente de atividade moderada e vigorosa”.

Atividades de fortalecimento muscular devem ser feitas envolvendo grandes grupos musculares em dois ou mais dias por semana, para manutenção e ganho de massa muscular. Esse ciclo de estresse físico e muscular, bem como sua adaptação ao estresse, é o que permite evoluirmos nosso condicionamento físico. “Esse processo serve para ajudar as pessoas que estão passando por quadros depressivos, ou de ansiedade. E, em alguns casos, o benefício é tão importante que podem até dispensar o uso de medicamentos controlados em uma decisão em conjunto com o médico”, finaliza.

saúde, bem estar, editora sucesso, londrina, medicina, psicologia, depressão, ansiedade, psiquiatria
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Tatuagem: prós e contras do procedimento
  2. Ar seco, fumaça, mudanças bruscas de...
  3. Surdez prejudica convívio familiar e...
  4. Varicocele causa infertilidade no homem
  5. Nutrição infantil : como colocar bons hábitos...