Revista Sucesso

Atualizado em 07/01/2019

Saúde

Hipertensão arterial

O médico Adriano Brandão alerta que estar em dia com exames pessoais  pode evitar condições que acarretem a pressão alta 

Da redação

Hipertensão arterial é o aumento anormal e por período prolongado da pressão arterial, isto é, da pressão que o sangue exerce na parede das artérias ao circular pelo nosso corpo. O valor normal da pressão arterial é em torno de 120 x 80 mmHg. Valores acima disso caracterizam a hipertensão arterial. E atenção: ela consiste num problema bastante frequente: um em cada três adultos é hipertenso. E o mais importante, a maioria não sabe que é, pois não costuma aferir sua pressão.

A principal causa da hipertensão é genética. Recebemos a informação de nossos pais para a pressão arterial se elevar em determinada fase de nossa vida. E algumas vezes isso acontece mesmo que eles tenham a pressão normal (mas um dos avós provavelmente era hipertenso). O excesso de sódio na alimentação (incluindo o sal de cozinha), obesidade, sedentarismo, tabagismo, álcool, privação do sono, estresse físico e emocional também contribuem para a pressão subir.

A maioria dos hipertensos é assintomática, isto é, não apresentam sintoma algum. E isto é muito ruim, pois a pessoa está tranquila, sentindo-se bem, mas a pressão pode estar muito alta, colocando a sua vida em risco. Por isso, o ideal é que verifiquemos nossa pressão arterial pelo menos uma vez por mês (e para quem for hipertenso, uma vez por semana).

Quando há sintomas agudos, eles normalmente incluem dor de cabeça, visão turva ou com pontos brilhantes, tontura, náusea, dor no pescoço, dor no peito e formigamento. Eles indicam que a pressão está alta e que é necessário auxílio do médico.

Mas há também os sintomas crônicos, ou seja, aqueles causados por muitos anos de pressão alta. Déficit visual, dor no peito, diminuição da função renal e problemas circulatórios indicam a lesão de órgãos nobres causada pela hipertensão em longo prazo.

Por fim, o grande problema da hipertensão arterial é constituir um fator de risco importantíssimo para doenças cardiovasculares, infarto do miocárdio e AVC, doenças que, quando não matam, causam incapacidades importantes que pioram a qualidade de vida.

Como qualquer outra doença, a prevenção é o melhor remédio para evitar complicações originadas pela pressão alta. Bons hábitos alimentares, exercícios físicos regulares e sempre de acordo com a necessidade/capacidade do paciente, evitar o tabagismo e excesso de bebidas alcoólicas, procurar meios de aliviar o stress e, principalmente, visitar seu médico de confiança para check-ups regulares. Estar em dia com seus exames pode evitar condições que acarretem a pressão alta e também garantir que o tratamento - caso seja necessário - possa ser iniciado precocemente e da forma mais adequada para cada caso.

Que tal aproveitar essa dica e agendar sua consulta para um check-up?


Adriano Brandão,
Médico de Família,
CRM 17468 PR

Editora Sucesso, Sucesso Londrina, Revista Sucesso, Revista Bem-estar, Londrina, Medicina, Hipertensão, Hipertensão Arterial, Antônio Brandão, Antônio Brandão Londrina
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Tatuagem: prós e contras do procedimento
  2. Depressão e ansiedade: atividades físicas são...
  3. Ar seco, fumaça, mudanças bruscas de...
  4. Surdez prejudica convívio familiar e...
  5. Varicocele causa infertilidade no homem