Revista Sucesso

Atualizado em 20/05/2021

Saúde

Atenção! Meningite mata rápido!

A meningite é a inflamação das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal (as meninges), podendo ter origem infecciosa e assim, ser causada por vírus, bactérias, fungos, parasitas.

Da redação

A depender do agente etiológico, pode ter rápida evolução, especialmente entre crianças e adolescentes, mesmo quando diagnosticada corretamente. Apresenta uma taxa de mortalidade de 5% a 10%, entre o tempo de 24 a 48 horas após os primeiros sintomas. Sem tratamento, esse cenário sobe para 50%. No Brasil, a doença é considerada endêmica, ou seja, pode ter casos durante todo o ano, ocasionalmente tendo surtos ou epidemias. As meningites bacterianas são mais comuns no outono-inverno (final de março a início de setembro) e as virais na primavera-verão (final de setembro até o início de março).


Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 1,2 milhões de casos e 135 mil mortes por meningite ocorram no mundo a cada ano. No Brasil, as 3 principais causas: a Neisseria meningitidis, o Streptococcus pneumoniae e o Haemophilus influenzae são responsáveis pela doença, com cerca de 2 casos a cada 100.000 habitantes, tendo uma alta letalidade (podendo chegar a quase 50%).


Nesse cenário alarmante, no caso da meningite, por exemplo, é muito fácil o erro de diagnóstico, pois profissional da saúde não considerar este diagnóstico, uma vez que não há tempo para erros, e em menos de 2 dias a doença leva ao óbito. Por isso, o Jaleko maior plataforma de ensino para alunos de medicina, disponibiliza um conteúdo de excelência sobre a doença, preparando os estudantes para incluir meningite nas suas suspeitas diagnósticas e manejá-la corretamente, quando necessário, minimizando as imperícias. Para deixar os estudantes e até mesmo os possíveis pacientes desta doença em constante alerta, Ana Elisa Almeida, infectologista e professora do Jaleko, separou algumas dicas que podem contribuir para a suspeita diagnóstica de Meningite.


- Febre e outros sinais sugestivos de meningite devem ser investigados com muita atenção. Pois, apesar de em alguns casos, como na grande maioria das meningites virais, o paciente apresentar uma evolução benigna, é importante essa identificação clínica, inclusive, para fins epidemiológicos e controle de casos.


- O vírus da gripe ataca as vias respiratórias, causando cansaço, coriza e dores no corpo.


- Já na Meningite, além dos sintomas de gripe, ocorrem sintomas mais amplos como dores de cabeça e vômitos intensos.


- Um sinal que pode ocorrer na meningite e já está muito bem consolidado no conhecimento popular é a rigidez de nuca. Porém, importante frisar que é possível ter meningite sem rigidez de nuca, além da rigidez de nuca estar presente em outras situações clínicas que não a meningite.


- Sintomas neurológicos como surdez, perda de consciência e paralisia podem ocorrer em meningites mais graves.


As dicas principais para os futuros estudantes são avaliarem o paciente com calma, atentando para recursos fundamentais como a anamnese e o exame físico e realizarem exames importantes como o líquor, se houver indicação clínica. Além disso, reforçar entre pacientes medidas preventivas, que são também imprescindíveis no manejo clínico, como a vacinação e quimioprofilaxia (quando indicados).

meningite, revista bem estar, revista sucesso, londrina, paraná, bem estar, saúde
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Cuidar das cordas vocais é essencial para uma...
  2. Por que os cabelos caem quando estamos...
  3. Saiba como evitar o mau hálito com a ajuda da...
  4. Atividade física no inverno é essencial, mas...
  5. Dor de cabeça: saiba diferenciar causas e...